Projeto de iniciação científica da FBN estimula a sensibilização ambiental

Para contribuir com a saúde do planeta, a Faculdade Boas Novas (FBN) tem, entre os seus projetos de iniciação científica, o cultivo de uma horta comunitária.

É uma atividade da disciplina Educação Ambiental e Responsabilidade Social. Esse trabalho é desenvolvido em espaços de meio fio e laterais do campus da instituição, na avenida Rodrigo Otávio, 1655, Japiim.

Para a professora responsável, professora doutora Geneci Bett, a ideia é trabalhar, continuamente, para oferecer exemplos de redução dos impactos causados pelas mudanças climáticas.

“Nossas causas mais significativas visam fortalecer iniciativas sustentáveis que gerem mais benefícios à sociedade, sem que isso signifique mais custos socioambientais no presente e no futuro,” garante.

Para ela, o objetivo do trabalho é despertar o interesse de alunos e alunas para a pesquisa na área da educação ambiental e desenvolver ações relativas ao ambiente nas escolas e nas comunidades.

“A ideia é criar, desenvolver e sensibilizar sobre o cuidado e a conservação do nosso bioma e do planeta. Desta forma, entendemos que podemos ter um mundo com mais bem-estar social, mais natureza, mais consciência e menos necessidade de uso de recursos naturais e evitar catástrofes socioambientais”, ensina Geneci.

Orgulho

Marivaldo da Silva Oliveira, do curso de Pedagogia, fala com orgulho que fazer parte de um projeto de iniciação cientifica na FBN é estudar em uma instituição que se preocupa com a sociedade, com uma economia sustentável para nosso planeta.

“Projetos como educação ambiental, leitura na praça, entre outros, são importantes para nos inserir nas questões da sociedade global. Percebemos que nossa instituição está atenta às questões mundiais”, disse Oliveira.

O acadêmico Caio Otávio disse que o projeto de iniciação científica, é de fundamental importância para seu crescimento profissional e pessoal.

Ao estudar o uso das plantas medicinais, presente no contexto do projeto, pude refletir que os métodos medicinais das comunidades tradicionais têm se perdido no decorrer dos anos.

Segundo ele, faz-se necessário a elaboração de práticas com a finalidade de incentivar e conscientizar os alunos da importância da preservação da cultura popular, perpetuando o conhecimento de geração em geração, o que trará benefícios ao meio ambiente, saúde e sustentabilidade.

No comments yet! You be the first to comment.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×